sábado, maio 10, 2008

Liberta Culpa

Maria Madalena é sem duvida um dos personagens bíblicos que mais despertam a curiosidade das pessoas em todo mundo. Para conferir isso, é só observar a quantidade de publicações e pesquisas sobre ela realizadas ultimamente. O grande boom aconteceu após o sucesso de O Código Da Vinci, onde o escritor Dan Brown confrontou a cristandade afirmando, após a interpretação da pintura da última ceia de Leonardo da Vinci, que Jesus Cristo e Maria Madalena tiveram um relacionamento amoroso, dando início a uma linhagem real que se descoberta abalaria as estruturas da igreja. Daí em diante, o mercado editorial não parou mais de registrar lançamentos que tinham como objetivo revelar segredos e aspectos da vida da mulher que ungiu os pés de Jesus com um perfume caro, como relatado em João 12:1-8. Pegando o vácuo deixado por O Código da Vinci, chegaram às livrarias O Enigma de Maria Madalena (Gerald Messadie, Bertrand Brasil), O Segredo do Anel: O Legado de Maria Madalena (Kathleen McGowan, ROCCO), Maria, a maior educadora da História (Augusto Cury, Planeta Brasil); Maria Madalena e o Santo Graal (Margaret Starbird, Sextante) - este relançado e um dos que inspiraram Brown a escrever o best sellers - entre muitos outros.
Porém, não foi só a literatura que voltou suas atenções para esta mulher que provoca curiosidades em cada vez mais pessoas. O cinema também concentrou forças para desvendar e apresentar Maria Madalena de uma forma nunca vista. A mais recente obra que tem como foco principal este misterioso personagem bíblico é o filme Liberta da Culpa, lançado no fim do ano passado pela Cruzada Estudantil. Dos mesmos produtores de Jesus, O Filme, tem Rebecca Ritz no papel principal. A produção mostra uma mulher flagrada em adultério, outra ignorada por causa da vida promíscua, uma marginalizada durante 12 anos por causa de uma situação vergonhosa e uma viúva, excluída da sociedade, por lamentar a morte do filho. Além de expor dores, vergonhas e tristezas vivenciadas por mulheres, todas assistidas de perto por Maria Madalena durante os três anos que esteve ao lado do Salvador, as histórias foram fundamentais para que a personagem principal fosse liberta de qualquer condenação.

Um comentário:

Giselíssima disse...

Me associei a comunidade de blogs e fotologs cristãos e sabe, o seu blog é de uma leveza singular.Dá até pra imaginar seu perfil pois é muito discreto,formal, mais ao mesmo tempo amistoso e amigo.
Taí, gostei!
E olha que eu sou bem chatinha pra essas coisa(rs).
Mas tá lindo, tem muito amor e vida de Cristo.